Sexta-feira, 8 de Dezembro de 2006
É um desafio ler Tácito no original. É um autor extremamente difícil, para o qual muitos dicionários escolares não dão resposta, pois estão mais preparados para traduzir Cícero, César e Vergílio (os autores puros e clássicos) do que qualquer outro escritor da Literatura Latina.
Concomitantemente, não há nenhuma tradução que consiga verter para vernáculo o estilo complexo do historiador (no entanto, aprofundar essa questão será entrar pela teoria da tradução, que não é o que pretendo – até porque a conclusão será, invariavelmente, afirmar que o tradutor é um traidor).
Mais preocupante ainda é a inexistência, em absoluto, de qualquer tradução portuguesa dos Anais ou das Histórias, por muito má que fosse*.
De Tácito, em português, há apenas uma tradução de Adolfo Casais Monteiro da Germânia (publicada pela Editorial Inquérito – e actualmente esgotada); alguns excertos do Agrícola são traduzidos numa tese de 1917 (VENTURA, Carlos Simões, Tácito, Vida de Júlio Agrícola, Coimbra).
Claro que noutras línguas existe um número significativo de traduções modernas dos Anais e das Histórias. Assim, das traduções das Histórias, destaco as seguintes:
- (inglesa) K. Wellesley, Penguin, 1975.
- (francesa) Henri Bornecque (apud Burnouf), Garnier, 1954.
- (francesa) L. Loiseau, Garnier, 1908 (pág. 161).
- (francesa) Emmanuel Berl, Gallimard, 1980.
- (espanhola) M. Bassols Climart.
- (italiana) (Hist., Dial., Germ.)
- (inglesa) Alfred John Church e William Jackson Brodribb [http://classics.mit.edu/ Tacitus/histories.html]

Das traduções dos Anais destaco:
- (francesa) P. Grimal, Gallimard, 1993.
- (inglesa) M. Grant, Penguin, 1971 (2.ª ed.).
- (espanhola) Carlos Coloma, 1944.
- (inglesa) W. Fyfe, Oxford, 1912.
- (francesa) L. Loiseau, Garnier , s.d.
- (francesa) Henri Bornecque (apud Burnouf), Garnier, 1957.
- (inglesa) C.H. Moore e J. Jackson, Loeb, 1925-37.
- (inglesa) Alfred John Church e William Jackson Brodribb [http://classics.mit.edu/ Tacitus/annals.html].

Neste conjunto, tem especial relevo a tradução de Pierre Grimal (um dos maiores latinistas franceses de sempre, autor das Memórias de Agripina). Além de uma tradução literal e fiel, a edição é enriquecida com um grande conjunto de notas culturais que “actualizam” o cenário histórico da Roma de parte do século I d.C.
Num estilo mais “livre” e leve, menos fiel, mas vigoroso, temos a tradução inglesa de Michael Grant, editada pela Penguin (poucas notas civilizacionais).

Farão o favor de ter paciência comigo, que prometo publicar neste blogue o ensaio da tradução portuguesa, directamente do latim, de alguns passos dos Anais.

* Em rigor, existe uma tradução das Histórias em português brasileiro (Berenice Xavier, 1937), mas nem sei se foi feita directamente do latim, pois parece-me muito próxima da tradução francesa de Burnouf.


publicado por Ricardo Nobre às 21:39 | referência | comentar

6 comentários:
De Susana Alves a 9 de Dezembro de 2006 às 13:05
Fico, com curiosidade, à espera da tua tradução. Sabes que também eu gostava que existisse uma tradução portuguesa.


De Hugo a 14 de Dezembro de 2006 às 08:48
Caro Ricardo
Apenas o conheço, se assim me posso exprimir, das suas postagens (para não usar o anglicismo) no Letratura – de que, confesso, sou quase fanático –, mas só há pouco tempo conheci o seu blogue.
Apenas uma nota acerca de Tácito, um dos meus autores, também – em tempos, no original, com muito esforço. Não podia estar mais de acordo com o que sobre ele disse – melhor do que eu saberia. Lembro só que há uma tradução de Agostinho da Silva do autor: Obras Menores , Lisboa, Livros Horizonte. Claro que as opções de A.S. poderão ser discutíveis (veja-se a tradução de Catulo, ad usum delphinorum, como se diz numa antologia de poesia erótica latina, da saudosa Editora Afrodite – conhece?), mas, do que recordo do livrinho, penso que é bom. Agostinho verteu ainda Salústio: De Catilinae Coniuratione e Bellum Iugurthinum (no mesmo volume, se bem me lembro), na mesma editora, mas creio que o Ricardo deverá conhecer.
Com os melhores cumprimentos,
Hugo Santos


De Ricardo a 14 de Dezembro de 2006 às 15:43
Viva, Hugo!

Agradeço as palavras de apreço e respondo para dizer que conhecia o facto de Agostinho da Silva ter traduzido as obras menores de Tácito, mas como não conheço a tradução porque nunca a vi, optei por não referi-la, preferindo falar apenas nas traduções dos opera minora que possuo e/ou que li, total ou parcialmente.
Só tentei ser exaustivo na listagem das traduções modernas dos Annales e das Historiae.

Esperando que volte a ler-me, despeço-me atenciosamente,

Ricardo Nobre


De Hugo a 14 de Dezembro de 2006 às 18:33
Caro Ricardo

Certamente passarei por cá. Apesar de tudo, confesso (pese embora também ter formação na área de Letras, que não Clássicas, com pena minha…), interessa-me mais o que escreve sobre os clássicos. Tenho grandes reservas em relação à TLEBS, na linha do que já disseram pessoas como Helder Gégués (que, para mim, vale mais do que dezenas de [certos] professores universitários…) ou outros.
Gostava de saber a sua opinião sobre dois livros: as «Odes Píticas» (passe a designação [ode, isto é] nada exacta...), de Píndaro, traduzidas por António de Castro Caeiro e editadas pela Prime Books e uma selecção de Catulo que o Professor José Ribeiro Ferreira traduziu, para a Minerva. Claro que o primeiro não é um classicista, longe disso (de resto, Frederico Lourenço já escreveu sobre esta versão, que considera representar um primeiro tentame que não voa muito alto, mas que serve os seus propósitos, versão próxima do original, para conhecimento, sem criação poética). Quanto ao segundo, bem, não vou ensinar o pai-nosso ao vigário!
Já agora, gostaria ainda de saber a sua opinião sobre o livro «Three Archaic Poets», de Anne Pippin Burnett, que muito apreciei, quando o li, há uns anos. Sendo eu um leitor antigo e devoto de (e sobre) Arquíloco, gostaria de lhe perguntar quais são, para si, as melhores obras sobre este poeta. A fechar, qual lhe parece ser a melhor tradução (em inglês) dos fragmentos poéticos (ia escrever «líricos», mas lembrei-me que lidava com um classicista!) gregos? Bem sei que prescinde delas…
Cumprimentos,
Hugo Santos
P.S. Conhece a tradução de Sena de Arquíloco («Poesia de 26 Séculos»)? Nunca consegui fazê-la corresponder às edições que tenho, para saber de que fragmentos se trata.


De Ricardo a 15 de Dezembro de 2006 às 10:17
Viva, Hugo!
1) TLEBS: Como começo por dizer em texto próprio, não é minha intenção convencer ninguém a aceitar a nova terminologia, antes mostrar por que a aceito. Se alguém vier a ficar mais esclarecido (mesmo que contra), será uma meta atingida, mas que não foi traçada.
2) Odes Píticas traduzidas por António C. Caeiro: para responder a este tópico, estou na presença de uma colega que é especialista em Píndaro – muito mais do que eu, certamente, pois é mestranda na área de Literatura Grega. Segundo ela, que já leu a referida tradução, é um bocado estranha. Se a quer ler por fruição literária, nem tente, pois a tradução serve os propósitos do Dr. A.C. Caeiro, que é da área da Filosofia.
3) Traduções de Catulo do Prof. Doutor José Ribeiro Ferreira: sei da sua existência, mas ainda não tive a oportunidade de a adquirir. No entanto, sendo ela assinada por quem é, penso que seja uma excelente tradução. Do mesmo tradutor, conheço outros trabalhos que me merecem os mais rasgados elogios (por exemplo, Filoctetes de Sófocles).
4) Quanto às opiniões que me pede do livro Three Archaic Poets, não posso tomar qualquer posição porque não conheço. A minha formação em literatura grega é um bocado deficitária, sendo mais entendido em poesia homérica, teatro e romance. Só estudei os poetas arcaicos na disciplina de Grego, ou seja, traduzia-os, mas apenas em excertos.
5) Arquíloco padece do mesmo problema que em 4), mas sei de fonte segura que vai sair em breve uma tradução portuguesa deste autor directamente do grego.
6) Traduções de fragmentos poéticos: em inglês, se não me engano, existe uma tradução de Bowra, que penso ser boa. Mas tenho de lhe lembrar que existe traduzido um número significativo de fragmentos de poesia grega arcaica na antologia da Prof.ª Doutora Maria Helena da Rocha Pereira (Hélade) e do Prof. Frederico Lourenço (Poesia Grega Arcaica: de Álcman a Teócrito). Encontra ligações para as editoras destes livros na coluna da direita deste blogue, na secção “Literatura Grega”.
7) Poesia de 26 Séculos: Conheço a antologia, mas não a tenho, no entanto, não sei se se trata de uma tradução directa do grego. Como disse antes, mais vale esperar por uma tradução completa de Arquíloco.
8) Se tiver mais alguma questão que queira explorar, pedia-lhe que me contactasse pelo endereço electrónico livrodeestilo@gmail.com.
Mais uma vez, agradeço a atenção prestada no blogue e nos temas das literaturas clássicas.


De Juliana Marques a 11 de Setembro de 2015 às 14:49
Existem duas traduções dos Anais de Tácito em português brasileiro. A primeira é de J. L. Freire de Carvalho, 1950, da coleção Clássicos Jackson, facilmente encontrada em lojas de livros usados (ver www.estantevirtual.com.br) - uma tradução particularmente ruim. A segunda é da Ediouro, traduzida por Leopoldo Pereira, de 1967 - a edição mais recente é de 1998, mas não conheço a tradução.


Comentar artigo

RÁDIO
TSF — Rádio Notícias (emissão directo)
BBC Radio 4 (emissão directo)
BBC World Service (emissão directo)
BBC Radio 3 (emissão directo)
BBC Radio 5 Live (emissão directo)
LIGAÇÕES DE REFERÊNCIA
Informação Geral
BBC News
The Guardian
Público
Times
Diário de Notícias


Cultura
The TLS
BBC | Entertainment & Arts
The Guardian | Culture
Telegraph | Culture
New York Times | Arts
DN | Artes
Ípsilon
El Mundo | Cultura
El País | Cultura
Público | Culturas
Le Monde| Culture

LITERATURA
Bibliotecas
Biblioteca Nacional de Portugal (Porbase)
The British Library
Library of Congress
Bibliothèque nationale de France (Opale)
Biblioteca Nacional de España
National Library of Scotland
Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (SIBUL)
Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
University of Cambridge Library (Newton)
Oxford University Libraries (SOLO)
Harvard Libraries (HOLLIS)


Editoras
Cambridge University Press: Catálogo de Literatura; Catálogo de Estudos Clássicos
Oxford University Press: Catálogo de Literatura; Catálogo de Estudos Clássicos; More than Words (Oxford World’s Classics)
Routledge: Catálogo de Literatura; Catálogo de Estudos Clássicos
Penguin Books


Revista CLASSICA — Boletim de Pedagogia e Cultura

LÍNGUA PORTUGUESA
Vírgulas
Sujeito e Predicado

Vocativo

Oração Causal

Oração Concessiva

Oração Condicional

Oração Conformativa

Oração Final

Oração Proporcional

Oração Temporal


Uso do apóstrofo


Vocabulário estudado
à
Alcaida
contracto
contrato
de
de mais
demais
grama
majestoso
para
presidenta
sedear
sediar
se não
senão
seriação


Livro de Estilo

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1945)
Código de Redacção Interinstitucional
Dicionário da Língua Portuguesa (Priberam)
Dicionário da Língua Portuguesa (Porto Editora)
LX Conjugator (conjugação verbal)
MorDeb
Corpus do Português Europeu
Corpus do Português
Corpus Lexicográfico do Português
CETEMPúblico
Corpus Rede de Difusão Internacional do Português
Transliteração do Alfabeto Grego
Associação de Informação Terminológica
Acordo Ortográfico de 1990
Norma Portuguesa de Metrologia

APONTADORES
Bandeira ao Vento
Blogtailors: o blog da edição
Cadê o Revisor?
Detective Cantor
Lóbi do Chá
Memento…
Pesporrente
Português em Dia
Rascunho.net
Relógio D'Água Editores
A Senhora Sócrates
O Vermelho e o Negro
ARTIGOS RECENTES

PÚBLICO Menos

Novo PÚBLICO

Acordo na Faculdade de Le...

Acordo Ortográfico no CCB

Onde o latim acaba e o in...

Balanço de um colóquio

Diogo Infante deixa o D. ...

Memória curta

Também quero o subsídio e...

Governo de salvação nacio...

Quando os escritores não ...

Golpe de estado militar

TOMBO

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

SUBSCREVER FEEDS